Mulher pode tudo: liderança feminina cada vez mais presente na Paraibuna Embalagens

21/03/22

Mulher pode tudo: liderança feminina cada vez mais presente na Paraibuna Embalagens

Aqui na Paraibuna Embalagens, a mulher pode tudo. E a cada dia que passa, mais espaços são ocupados por elas, tornando o ambiente ainda mais diverso e plural. Além de estarem no operacional, na manutenção e nos demais setores produtivos, as mulheres estão à  frente de muitas equipes. Atualmente, 38% dos cargos de liderança da empresa são ocupados por mulheres, tanto na unidade em Juiz de Fora (MG) quanto em Sapucaia (RJ).

Segundo a superintendente da Paraibuna Embalagens, Rachel Marques, a chegada dessas mulheres para estes cargos aconteceu a partir da sua competência e avaliação do seu perfil profissional. “Foi um movimento natural, pois acreditamos que todo ser humano, quando se propõe a fazer algo, fará muito bem, independente de qual seja o seu gênero. No caso das mulheres, acreditamos que este destaque vem de habilidades que as diferenciam no mercado de trabalho, bem como a inteligência emocional e a resiliência”.

A gerente de Operações Administrativas da Paraibuna Embalagens, Rita Rievert, lembra que na empresa, os cargos são ocupados a partir do perfil apresentado. “O gênero deixou de ser uma questão para nós. Pautamos nossos processos em habilidades, currículo e experiências, pois acreditamos que sempre existirá um perfil certo para a vaga certa. Como exemplo disto, temos uma engenheira responsável por projetos de maior complexidade e na construção de uma das nossas maiores máquinas. Na segurança do trabalho, também temos mulheres, assim como na gerência de suprimentos e em demais setores como comercial e administrativo”.

Mulheres que fizeram história na Paraibuna

Entre as mulheres que gravaram o seu nome na história da Paraibuna Embalagens está a gerente de Suprimentos, Denise Peter. Sua trajetória começou como estagiária e, de lá pra cá, são mais de duas décadas cultivando uma carreira sólida. “Me sinto uma pessoa muito privilegiada, pois ocupei o cargo de gerente em quase todas as áreas. Inclusive, fui a primeira mulher a ser gerente de uma área industrial. Meu projeto de vida agora é continuar sendo produtiva e deixar um legado para a minha filha, mostrando pra ela que as mulheres são capazes de conquistar todos os espaços que desejarem”.

À frente de projetos de grande porte da Paraibuna está Nayara Gonçalves, nossa coordenadora de projetos. Ela foi uma das profissionais responsáveis pela nova máquina de papel da empresa, a MP8. “A Paraibuna tem uma diferença em relação a outras empresas que tive a oportunidade de atuar direta ou indiretamente: o número de mulheres em cargos de liderança. Vejo que vim para somar ao time e conseguir estruturar projetos de acordo com a ambição de crescimento da empresa. Falando em MP8, é gratificante pensar em cada etapa e desafio vencido e ouvir dos nossos parceiros que fizemos um trabalho arrojado”. 

Outro setor que chama a atenção é a área produtiva. Na unidade da Paraibuna Embalagens em Sapucaia, Cláudia Chemppe é a líder da Fábrica de Tintas. Para ela, nestes 14 anos que está na empresa, ocupar este cargo traz muitos significados e responsabilidades. “Quando você ocupa um cargo de liderança, muitas mulheres se inspiram em você. Você se torna um espelho. Temos que pensar nas nossas atitudes e naquilo que fazemos no dia a dia da empresa. Aqui é um lugar com muitas oportunidades para pessoas de ambos os gêneros, desde que você se dedique, trabalhe e busque conhecimento”. 

Quem também concorda com Cláudia é Laiz Apolinário, líder do Controle de Qualidade na unidade de Sapucaia. Há pouco mais de um ano na função, Laiz relembra como foi a sua trajetória dentro da empresa. “Comecei como inspetora de qualidade e fui tendo oportunidade de aprender, principalmente com a liderança do setor, que era ocupada por uma mulher. Tive muita sorte neste sentido e, também, com a minha equipe. Mesmo sendo homens em sua maioria, sempre fui respeitada como líder, como profissional e como mulher. Como líder, percebo que foi um exemplo para todos do time.”.

No setor de Aparas na unidade de Juiz de Fora, a líder de recebimento e abastecimento,  Maria Ferreira, conta que ocupar o posto foi um desafio e tanto. No início me perguntava se daria conta de representar um setor que é, em sua maioria, masculino. Desde o começo fui muito bem recebida, conquistando esse lugar e tornando uma referência pra eles. Dentro da Paraibuna, ser mulher nunca foi um problema, pelo contrário. Isto aqui é muito natural. Não existe esta diferenciação por gênero, mas sim pelo perfil de cada pessoa”, comenta.

O comercial já é uma área na qual as mulheres estão cada vez mais presentes. A coordenadora regional de vendas de São Paulo da Paraibuna Embalagens, Maria Alves Viana, acredita que o setor ganha muito com a inserção das mulheres, sobretudo quando colocadas na liderança. “A gestão feminina é diferente, pois o nosso trato, cuidado e preocupação com quem trabalha conosco vão além do profissional. Acredito que todo mundo é capaz disso, mas na mulher, é um dom natural, o sexto sentido que a gente fala. Isto nos auxilia a enxergar competências e desenvolver pessoas para que toda a equipe possa ser produtiva e ser um diferencial para a empresa”, finaliza.

 

Notícias Relacionadas